RM034 | Romanos 5:12 a 15 | Os Resultados do Ato de Adão versus os Resultados de Cristo

Texto Bíblico | De Adão Veio o Poder do Pecado para Matar, mas de Cristo Veio o Maior Poder da Graça para Vivificar | 5.2.1

12 Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram.

13 Porque até à lei estava o pecado no mundo, mas o pecado não é imputado, não havendo lei.

14 No entanto, a morte reinou desde Adão até Moisés, até sobre aqueles que não tinham pecado à semelhança da transgressão de Adão, o qual é a figura daquele que havia de vir.

15 Mas não é assim o dom gratuito como a ofensa. Porque, se pela ofensa de um morreram muitos, muito mais a graça de Deus, e o dom pela graça, que é de um só homem, Jesus Cristo, abundou sobre muitos.

Comentário

O pecado e a morte estão no mundo por causa de um homem, Adão. Ele foi o primeiro homem que Deus criou. Ele morava num mundo perfeito que não tinha nem pecado nem morte. Ele estava puro e reto diante de Deus. Quando, um dia, o grande inimigo de Deus, Satanás, tentou Adão, Adão caiu na tentação e pecou contra Deus. Deus tinha proibido que Adão comesse o fruto de uma árvore específica sob a penalidade da morte (Gn 2:17). A disobediência de Adão foi pecado. O pecado dele matou-o.

A morte de Adão não foi imediata. Ele e a sua esposa, Eva, tinham filhos, através dos qual veio a raça humana. Infelizmente, assim como todos os homens herdaram a semelhança de Adão, também herdaram o estado pecaminoso de Adão (v.12). Isto é óbvio porque ainda que ninguém tenha pecado exatamente igual a o de Adão, todos os homens morrem (“a morte reinou” v.14). Todos os homens morrem porque, assim como Adão pecou, todos os homens pecam.

A morte não é meramente a punição pelo pecado mas também a consequência natural do pecado (Tg 1:15). Paulo fala do tempo de “Adão até Moisés” (v.14) para mostrar este fato. Nos dias de Adão a Moisés não houve uma lei escrita de Deus. Alguns talvez achem que desde que não houvesse lei, não haveria pecado. Homens morreram, porém, ainda quando não havia lei—uma prova que o pecado existia sem violar uma lei escrita.

A lei, então, deve ser entendida, não como o criador do pecado, mas como o revelador do pecado (v.13). (Veja Rm 2:12 a 16 e seu comentário.) Deus já Se revelou a Si mesmo e Seu padrão na natureza (Rm 1:20). A humanidade violou este padrão nos dias da lei escrita e nos dias quando a lei não estava em vigor. As violações do homem contra o padrão de Deus eram suficientes para destruí-lo independentemente da lei escrita que traz condenação e punição.

Adão é o tipo (“figura” v.14) de Jesus Cristo, nem tanto por comparação, mas por contraste. Suas semelhanças são mais valorosas em mostrar suas diferenças. Isto levou Paulo a seu terceiro “muito mais.” Se o único pecado de Adão tinha o poder para matar, então “muito mais” a graça de Deus, que é vida eterna através de Jesus Cristo, (aqui, “o dom” v.15), tem o poder para vivificar! Isto é, o que um homem fez para matar não se compara com o que Deus fez para vivificar.

Perguntas Interativas

  1. Por quantos homens o pecado entrou no mundo?
  2. O que entrou no mundo pelo pecado?
  3. O que passou a todos os homens por isso que todos pecaram?
  4. Como é que sabemos que o pecado estava no mundo ainda que não houvesse lei nos dias entre Adão e Moisés?
  5. Por quantos homens a graça de Deus abundou sobre muitos?

Palavras-Chave

  • Abundou – Atravessou um limite
  • Adão – Aqui, a primeira pessoa que quebrou uma lei de Deus
  • Figura – Imagem; forma
  • Graça – A bondade de Deus para pessoas não merecedoras
  • Imputado – Reconhecido; Crido a ser verdadeiro porque é
  • Lei – Aqui, o padrão de Deus do certo e do errado dado aos judeus
  • Moisés – Aqui, a pessoa que recebeu a lei de Deus
  • Mundo – Humanidade
  • Ofensa – Aqui, injustiça contra Deus; falha
  • Pecado – Aqui, a tendência do homem a desobedecer Deus; a natureza pecaminosa
  • Pecaram – Aqui, desobedeceram a Deus
  • Portanto – Então; à visto disso
  • Reinou – Controlou; ficou na posição de um rei
  • Satanás – Anjo cujo orgulho foi punido por ele perder sua posição no céu, e cujas mentiras levam as pessoas a pecarem para que se destruam
  • Semelhança – Parecença
  • Tentou – Levou da verdade para o erro através das concupisciências (desejos pecaminosos) inteirnas
  • Transgressão – Pecado; atravessando uma linha que Deus desenhou; quebra de uma lei definida

RM033 | Romanos 5:6 a 11 | Os Resultados da Justificação pela Fé

Texto Bíblico | Justificação pela Fé Dá ao Homem a Demonstração sem Igual do Amor de Deus | 5.1.4

6 Porque Cristo, estando nós ainda fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios.

Porque apenas alguém morrerá por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém ouse morrer.

8 Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.

Texto Bíblico | Justificação pela Fé Dá ao Homem Reconciliação com Deus | 5.1.5

Logo muito mais agora, tendo sido justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira.

10 Porque se nós, sendo inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais, tendo sido já reconciliados, seremos salvos pela sua vida.

11 E não somente isto, mas também nos gloriamos em Deus por nosso Senhor Jesus Cristo, pelo qual agora alcançamos a reconciliação.

Comentário

Jesus Cristo morreu pela humanidade no tempo perfeito (v.6). Ele não era nem cedo nem tarde. A sua morte veio quando era bem óbvio que o homem precisava dEle. Todos os esforços do homem para fazer as coisas por si mesmo ao longo do tempo têm falhado. A história condena a humanidade como desesperadamente culpada diante de Deus. Isso magnifica o amor de Deus (e dá ao crente a maior razão para colocar a fé nEle). Ainda que poucos morram por alguém que não está machucando outros, ou ainda que alguns talvez morram por um homem que tem a vontade de ajudar outros (v.7), Jesus Cristo morreu pelos pecadores (v.8)! Não há amor maior do que isso! (Para um estudo mais avançado considere como um crente pode esperar para a graça de Deus suprir as suas necessidades na hora certa como a morte de Cristo pelos ímpios aconteceu na hora certa. Esta  é a conexão entre versículos 1 a 5 e 6 a 8.)


Versículo 9 começa com os famosos quatro “muito maises” de capítulo 5. (Estes são famosos porque maravilhosamente mostram que a grande obra de Deus através de Cristo excede o dano causado pelo pecado. Também, a obra de Cristo para justificar pecadores é superior a qualquer outra oferta feita por religões rivais.)

Primeiro, desde que Deus justifique pecadores pela morte (“sangue” v.9) de Jesus Cristo, então Ele “muito mais” jamais mostrará raiva (“ira”) estando agora desculpados. Isto plenamente significa que um homem que tem sido justificado permanecerá justificado. Segundo, desde que Deus estivesse disposto a trazer seus inimigos de volta no seu favor pela morte do Seu Filho, então “muito mais” os guardará no Seu favor, sendo agora Seus amigos, e Ele tem ressuscitado dos mortos (v.10).

Paulo então interpõe uma terceira razão depois do segundo “muito mais.” Ele disse: “E não somente isto, mas também nos gloriamos” (v.11). Lembre-se de que a primeira razão que crentes se gloriam é porque têm a esperança da glória de Deus (v.2). A segunda é que têm a graça de Deus em tribulação (v.3). Agora, a terceira é que têm Deus mesmo através da reconciliação de Jesus Cristo. Não há uma maior razão para se gloriar!

Perguntas Interativas

  1.  A qual tempo Cristo morreu pelos ímpios da humanidade?
  2. O que somos quando Cristo morreu por nós?
  3. O que nos justifica?
  4. O que nos reconcilia com Deus?

Palavras-Chave

  • Gloriamos – Aqui, regozijamos
  • Ímpios – Sem Deus; maus
  • Ira – Raiva
  • Justificados – Ser feito desculpado diante de Deus
  • Justo – Sem culpa
  • Pecadores – Os que têm a propensão para o mal
  • Prova – Demonstra de tal forma que não há mais uma dúvida
  • Reconciliação – Relacionamento restaurado
  • Reconciliados – Os cujo relacionamento está restaurado

RM032 | Romanos 5:1 a 5 | Os Resultados da Justificação pela Fé

Texto Bíblico | Justificação pela Fé Dá ao Homem Paz com Deus | 5.1.1

TENDO sido, pois, justificados pela , temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo;

Texto Bíblico | Justificação pela Fé Dá ao Homem Entrada à Graça | 5.1.2

2 Pelo qual também temos entrada pela a esta graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança da glória de Deus.

Texto Bíblico | Justificação pela Fé Dá ao Homem Glória nas Suas Tribulações | 5.1.3

3 E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência,

4 E a paciência a experiência, e a experiência a esperança.

5E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado.

 Comentário

A fé dá ao homem “paz [imediato] com Deus” (v.1). É concordar com Deus que [1] a dívida do pecado é grande, e [2] somente a morte de Jesus Cristo paga-a completamente. Deus aceita tal fé, justifica o homem por apagar seu registro do pecado e então lhe dá o registro perfeito de Jesus Cristo (II Co 5:20, 21). Isto termina a guerra do homem contra Deus.


Deus continua a ser gracioso ao crente. Primeiro, Ele deixa o crente ficar de pé sem vergonha na Sua presença (v.2). Nada na vida do crente pode danificar esta posição. Segundo, ele é permitido a gloriar-se (“nos gloriamos”) com expectativa ousada (“esperança”) que verá e participará da glória de Deus!


Terceiro, desde que a graça de Deus seja tão acessível, crentes não precisam temer a morte. Assim como Deus levantou Cristo dos mortos, também os levantarão. Agora crentes podem suportar “tribulações” (v.3) inclusive a ameaça da morte, porque estes nunca terão a sua posição mudada diante de Deus. Na verdade, crentes pode mais que suportar; podem se gloriar.

Por que um crente deve regozijar-se nas tribulações? Elas revelam a graça de Deus, exibindo o cuidado tenro de Deus no meio de tais dificuldades. Enquanto suporta e se regozija, Deus supre as necessidades—as vezes, milagrosamente! As situações impossíveis se tornam possíveis através da graça. Ao invés de temer consequências ruins, o crente antecipa mais um ato de Deus!

Esta experiência bendita melhora a paciência do crente (v.4). Sua vida está cheia com “esperança,” que não é desejo vazio, mas expectativa ousada. Muitas vezes aqueles que vivem com tal esperança são questionados (I Pe 3:15, 16) ou até criticados porque seu comportamento parece quase irreal. Mas, tal vida é muito real, e “não traz confusão” (v.5), ou seja, vergonha.

O amor de Deus está derramado no coração do crente. O Espírito Santo, o grande Consolador de Deus, revela o grande amor ao crente. Quanto mais ele compreende aquele amor, mais ele está disposto a confiar em Deus com sua vida.

Estes poucos versículos são simples mas contêm uma descrição vívida da vida de alguém justificado pela fé.

Perguntas Interativas

  1. O que justifica o homem?
  2. Por quem temos paz com Deus?
  3. O que nos dá entrada à graça de Deus na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança da glória de Deus?
  4. Por que nós, que temos entrada à graça de Deus, nos gloriamos nas tribulações?
  5. A experiência de suportarmos pacientemente as tribulações produz o que nas nossas vidas enquanto dependemos da graça de Deus?
  6. Por que a esperança não traz confusão?

Palavras-Chave

  • Confusão – Desonhra; humilhação; vergonha
  • Derramado – Despejado
  • Esperança – Expectativa ousada
  • Espírito Santo – A terceira pessoa da Trindade; Deus
  • – Convicção da verdade de algo
  • Glória – A honra que Deus dará aos crentes no futuro (céu, etc.)
  • Gloriamos – Regozijamos
  • Graça – O favor de Deus que o recipiente não merece
  • Justificados – Justos pelo ato de Cristo morrer na cruz, pagando a dívida do pecado
  • Tribulação – Opressão, aflição, angústia, dilema
  • Tribulações – Opressões, aflições, angústias, dilemas

RM031 | Romanos | Índice de Capítulo 05

Capítulo 05 | Justificação pela Fé

5.1.1 Os Resultados da Justificação pela Fé (vv.1 a 11)

5.1.1 Justificação pela Fé Dá ao Homem Paz com Deus

5.1.2 Justificação pela Fé Dá ao Homem Entrada à Graça

5.1.3 Justificação pela Fé Dá ao Homem Glória nas Suas Tribulações

5.1.4 Justificação pela Fé Dá ao Homem a Demonstração sem Igual do Amor de Deus

5.1.5 Justificação pela Fé Dá ao Homem Reconciliação com Deus

5.2.1 Os Resultados do Ato de Adão versus os Resultados de Cristo (vv.12 a 19)

5.2.1 De Adão Veio o Poder do Pecado para Matar, mas de Cristo Veio o Maior Poder da Graça para Vivificar

5.2.2 De um Pecado de Adão Muitos foram Condenados, mas de um Dom de Cristo Pecadores São Justificados de Todos os Seus Pecados

5.2.3 Do Pecado de Adão Todos os Homens São Condenados, mas da Justiça de Cristo Todos Podem Ser Justificados

5.3.1 A Revelação da Lei (vv.20, 21)

5.3.1 A Lei (Primeira Etapa): Revela a Malignidade do Pecado do Homem

5.3.2 A Lei (Segunda Etapa): Revela a Grandeza da Graça de Deus

RM030 | Romanos 4:23 a 25 | Deus Aceita a Fé para o Proveito de Todos

Texto Bíblico | Os Escritos Judaicos (O Velho Testamento) Registra a Fé de Abraão para o Proveito de Todos os Crentes de Hoje | 4.2.3

23 Ora, não só por causa dele está escrito, que lhe fosse tomado em conta,

24 Mas também por nós, a quem será tomado em conta, os que cremos naquele que dentre os mortos ressuscitou a Jesus nosso Senhor;

25 O qual por nossos pecados foi entregue, e ressuscitou para nossa justificação.

 Comentário

“E creu ele no Senhor, e imputou-lhe isto por justiça”(Gn 15:6)—este versículo foi escrito por Moisés muitos anos depois que Abraão tinha falecido; portanto, não podia ser só para o proveito dele, mas sim para o proveito daqueles que nasceriam depois (v.23). Por este fato, Paulo faz um ponto simples mas profundo. Aquilo que é escrito nas Sagradas Escrituras é para o proveito de qualquer pessoa que crê no Deus que ressuscita os mortos.

Por este versículo, qualquer um hoje que tem fé que Deus ressuscitou Jesus Cristo dos mortos pode saber que sua fé é como a de Abraão. Abraão creu que Deus podia dar vida ao seu corpo e o da sua esposa. Por isso, Deus imputou-lhe justiça. Deus, também, imputa a fé por justiça hoje (v.24).

Paulo concluiu este capítulo com o propósito da morte e da ressurreição de Jesus Cristo. Primeiro, Jesus foi entregue nas mãos de homens pecaminosos e morto, não pelos Seus pecados, mas pelos da humanidade (v.25). Ele não ofendeu ninguém; a humanidade ofendeu Deus. Cristo, então, se tornou o substituto do homem. Ele morreu de propósito. Todos os pecados de todos os homens eram punidos na cruz. A dívida do pecado que o homem devia foi pago de uma vez por todas.

Segundo, Deus levantou Jesus dos mortos porque Ele tinha aceitado Sua morte como suficiente para pagar a dívida do homem. Isto significa para todos que crêem nEle que são libertados da sua culpa—justificados diante dos olhos de Deus.

Estas verdades, harmoniosas e completas, são a soma e substância do evangelho.

Perguntas Interativas

  1. Para quem foram escritas as coisas de Abraão nas Sagradas Escrituras?
  2. Por que Jesus Cristo nosso Senhor foi entregue à cruz?
  3. Por que Jesus nosso Senhor ressuscitou dos mortos?

Palavras-Chave

  • Entregue – Aqui, dado nas mãos daqueles que querem crucificá-lo
  • Evangelho – A mensagem da morte, do sepultamento e da ressurreição de Jesus Cristo e como este evento é suficiente para salvar todos que crêem nEle
  • Justificado – Libertado da penalidade e da condenação do pecado
  • Pecados – Atos, palavras ou pensamentos contra a vontade de Deus
  • Ressurreição – Voltando para a vida depois da morte
  • Ressuscitou – Voltou para a vida depois da morte
  • Sagradas Escrituras – Aqui, os escritos distintamente autorados por Deus conhecidos como os livros do Velho Testamento: Gênesis a Malaquias
  • Tomado em conta – Reconhecido; Atribuido; Imputado

RM029 | Romanos 4:14 a 22 | Deus Aceita a Fé para o Proveito de Todos

Texto Bíblico | As Sagradas Escrituras Mostram que a Fé É Imputada por Justiça para o Proveito de Toda a Humanidade | 4.2.2

14 Porque, se os que são da lei são herdeiros, logo a é e a promessa é aniquilada.

15 Porque a lei opera a ira. Porque onde não há lei também não há transgressão.

16 Portanto, é pela , para que seja segundo a graça, a fim de que a promessa seja firme a toda a posteridade, não somente à que é da lei, mas também à que é da que teve Abraão, o qual é pai de todos nós,

17 (Como está escrito: Por pai de muitas nações te constituí) perante aquele no qual creu, a saber, Deus, o qual vivifica os mortos, e chama as coisas que não são como se já fossem.

18 O qual, em esperança, creu contra a esperança, tanto que ele tornou-se pai de muitas nações, conforme o que lhe fora dito: Assim será a tua descendência.

19 E não enfraquecendo na , nào atentou para o seu próprio corpo já amortecido, pois era já de quase cem anos, nem tampouco para o amortecimento do ventre de Sara.

20 E não duvidou da promessa de Deus por incredulidade, mas foi fortificado na , dando glória a Deus,

21 E estando certíssimo de que o que ele tinha prometido também era poderoso para o fazer.

22 Assim isso lhe foi também imputado como justiça.

 Comentário

A fé é e deve ser o único caminho para receber a promessa do direito de herança. Segundo Paulo, se em vez da fé, alguém é requerido guardar a lei, então há três ensinos-chave da Escritura que se tornam sem propósito: [1] a fé, [2] a promessa de Deus e [3] a graça.

Primeiro, se o direito de herança fosse pela lei, a Escritura não teria razão nenhuma a mencionar fé (v.14). Segundo, a promessa de Deus permaneceria não realizada porque o homem não consegue obedecer a lei (v.16). Terceiro, desvaloriza a graça de Deus. A graça é a bondade de Deus para aqueles que não a merecem. Isto significa que se o homem pudesse guardar a lei (que é impossível) o galardão não seria mais um dom, mas sim um pagamento, como se Deus o devesse.

Deus simplesmente quer que Sua promessa seja pela fé. Isto [1] permite-O mostrar a Sua graça; [2] faz a promessa disponível a todos que estão dispostos a confiá-LO para a receber; e [3] guarda Sua promessa a Abraão.

Deus também prometeu para Abraão que seria  “pai de muitas nações” (v.17). Veja Gn 17:4. Isto corresponde com a promessa que ele seria o “herdeiro do mundo” (Rm 4:13). Ambos se referem ao tempo quando Jesus Cristo será o Rei da terra, e todas as pessoas da fé serão seus sujeitos amorosos. Sendo o caso, a ideia judaica que o cumprimento da promessa foi um mundo reinado pela nação judaica não foi exatamento verdadeiro. Somente os que têm fé, judeus ou gentios. serão permitidos neste reino.

110_04_0033_BiblePaintings

Paulo entendeu que a fé de Abraão era tal que Deus poderia dar vida aos mortos. Ambos Abraão e a sua esposa, Sara, eram velhos e incapazes fisicamente de terem filhos. Além disso, Sara nunca tinha filho. Isto quis dizer que um milagre de nova vida foi requerido. Abraão aceitou a promessa de Deus sem enfraquecer na fé. Quando parecia que ele não deveria esperar nada (“contra a esperança” v.18) ele osadamente esperou (“creu contra a esperança”) que Deus tinha este poder. Foi convencido que Deus o poderia e o faria; portanto, louvou a Deus (v.20). Deus viu esta fé em Abraão, foi agradado, e a imputou-lhe como justiça (v.22; Gn 15:6). Por Abraão, então, Paulo mostra muito claramente que Deus não se interessa na nossa habilidade imperfeita a guardarmos a lei, mas se interessa em nossa fé nEle.

Perguntas Interativas

  1. O que aniquilaria a promessa para Abraão, se fosse a verdade?
  2. A qual fim Deus queria que a promessa seja pela graça por meio da fé?
  3. O que Abraão deu que mostrou que não enfraqueceu na fé ainda que o seu corpo e o ventre da Sara estavam amortecidos?
  4. Quão persuadido estava Abraão que Deus tinha o poder para fazer o que prometeu?

Palavras-Chave

  • Abraão – Antepassado principal dos judeus (1900s a.C.)
  • Amortecido – Aqui, não capaz de reproduzir
  • Amortecimento – Aqui, a inabilidade de reproduzir
  • Descendência – Filhos
  • Esperança – Expectativa ousada
  • – Confiança
  • Glória – Aqui, dar a Deus o crédito pela benção
  • Graça – Bondade de Deus aos que não merecem
  • Herdeiros – Aqueles que recebem algo lhes separado
  • Imputado – Atribuído
  • Ira – Raiva
  • Justiça – Aquilo que alcança o padrão de DEus
  • Lei – Aqui, o padrão de Deus do bem e do mal dado aos judeus
  • Posteridade – Filhos
  • Sara – Esposa idosa de Abraão
  • Transgressão – Pecado; Atravessar a linha que Deus desenhou
  • – Sem propósito
  • Vivifica – Faz vivo; Dá vida

RM028 | Romanos 4:11b a 13 | Deus Aceita a Fé para o Proveito de Todos

Texto Bíblico | As Sagradas Escrituras Mostram que Abraão É o Pai de Todos os Crentes | 4.2.1

11 Para que fosse pai de todos os que crêem, estando eles também na incircuncisão; a fim de que também a justiça lhes seja imputada;

12 E fosse pai da circuncisão, daqueles que não somente são da circuncisão, mas que também andam nas pisadas daquela que teve nosso pai Abraão, que tivera na incircuncisão.

13 Porque a promessa de que havia de ser herdeiro do mundo não foi feita pela lei a Abraão, ou à sua posteridade, mas pela justiça da .

 Comentário

Desde que a circuncisão de Abraão viesse após a sua imputação da justiça, então ele podia ser o pai de todas as pessoas que confiam [1] em Deus e [2] não em si mesmos (vv.11, 12). Estes dois grupos são iguais, pois se um homem verdadeiramente confiar em Deus pela justiça, então não mais confiará em si mesmo. Isto também é o verdadeiro significado da remoção da carne na circuncisão, desde que a carne seja simbólica das habilidades do homem. Um homem é circuncidado como um sinal que abandonou confiança no seu próprio poder e agora confia no poder de Deus.

Abraão recebeu muitas promessas de Deus pela fé. Você pode ler de algumas delas em Gn 12:1 a 3, 7; 13:14 a 18; 15:1 a 21; 17:1 a 22. Estas promessas serão realizadas quando Abraão e seus filhos se tornarem “herdeiro do mundo” (v.13). Esta promessa maravilhosa quer dizer que seus filhos ocuparão toda a terra.

O efeito completo desta promessa não é onde Abraão se torna um rei e judeus se tornam seus cidadões; mas sim, isto se refere ao reino de Jesus Cristo que subjugará todos os outros reinos.

Perguntas Interativas

  1. De quem é Abraão o pai, desde que a justiça lhe fosse imputada antes da sua circuncisão?
  2. Através do que foi a promessa feita a Abraão e sua posteridade que eles seriam o herdeiro do mundo?

Palavras-Chave

  • Abraão – Homem que os judeus consideram seu pai; porém, ele na verdade é o pai de todos que tem a fé
  • Circuncisão – Aqui, a remoção da carne
  • – Confiança
  • Herdeiro – Alguém que recebe algo especificamente lhe separado
  • Imputada – Atribuída; aqui, algo dado um atributo por causa de outro atributo
  • Justiça – Aquilo que alcança o padrão de Deus
  • Mundo – Todas as pessoas
  • Posteridade – Filhos
  • Lei – Aqui, o padrão de Deus dado aos judeus

RM027 | Romanos 4:9 a 11a | A Imputação da Fé (e Não das Obras) por Justiça

Texto Bíblico | As Sagradas Escrituras Mostram que Abraão Tinha a Imputação da Sua Fé por Justiça Antes da Sua Circuncisão | 4.1.3

Vem, pois, esta bem-aventurança sobre a circuncisão somente, ou também sobre a incircuncisão? Porque dizemos que a foi imputada como justiça a Abraão.

10 Como lhe foi, pois, imputada? Estando na circuncisão ou na incircuncisão? Não na circuncisão, mas na incircuncisão.

11 E recebeu o sinal da circuncisão, selo da justiça da quando estava na incircuncisão,

 Comentário

Os judeus geralmente se referiam a si mesmos como a “circuncisão” e a todos os outros como a “incircuncisão.” (Veja I Sm 14:6; 31:4; I Cr 10:4.) Em capítulo dois, porém, Paulo ensinou que aqueles títulos eram para distinguir as pessoas que agradam a Deus daqueles que não O agradam.

Em capítulo quatro, Paulo estreita a definição destas palavras até mais. Primeiro, usa-as como os judeus as usariam (v.9), depois do qual ele volta ao seu uso original (v.11).

Paulo faz duas perguntas. Primeiro, “Vem, pois, esta bem-aventurança sobre a circuncisão somente, ou também sobre a incircuncisão?” (v.9)? Em outras palavras, Deus perdoará somente os judeus ou perdoará também os gentios dos seus pecados? Perdoará ambos.

Ele fortalece este ponto por meio de uma segunda pergunta. “Como lhe foi, pois, [a justiça] imputada? Estando [Abraão] na circuncisão ou na incircuncisão?” (v.10). Deus imputou a justiça antes ou depois ele foi circuncidado fisicamente? Deus lhe imputou-a antes; portanto, a circuncisão não lhe deu a justiça, mas a justiça fez que a circuncisão fosse necessária (v.11).

Isso contradiz mutio a idéia judaica. Os judeus pensavam que sua participação na circuncisão foi suficiente para identificá-los com Abraão; como se a prática por si mesmo fosse suficiente para fazer Abraão seu pai espiritual. Paulo mostra que na verdade a circuncisão não é um meio de dar a justiça, mas é uma marca que identifica o homem como alguém que já obteve a justiça pela fé.

Perguntas Interativas

  1. A justiça foi imputada a Abraão quando estava na circuncisão ou na incircuncisão?
  2. Qual foi o selo da justiça da fé que Abraão tinha?

Palavras-Chave

  • Bem-aventurança – Felicidade; alegria
  • Circuncisão – Aqui, (v.9) judeus identificados pela remoção da carne; (vv.10, 11) a remoção da carne
  • – Confiança
  • Imputada – Atribuída; aqui, algo dado um atributo por causa de outro atributo
  • Incircuncisão – Aqui, (v.9) os gentios; (v.10) estado de não ter a carne removida
  • Justiça – Aquilo que alcança o padrão de Deus
  • Selo – Autenticação; confirmação; sinal indacando que algo é genuíno, real ou verdadeiro

RM026 | Romanos 4:1 a 8 | A Imputação da Fé (e Não das Obras) por Justiça

Texto Bíblico | As Sagradas Escrituras Mostram que Abraão Tinha a Sua Fé Lhe Imputado por Justiça | 4.1.1

QUE diremos, pois, ter alcançado Abraão, nosso pai segundo a carne?

Porque, se Abraão foi justificado pelas obras, tem de que se gloriar, mas não diante de Deus.

Pois, que diz a Escritura? Creu Abraão a Deus, e isso lhe foi imputado como justiça.

Texto Bíblico | As Sagradas Escrituras Mostram que sem Fé o Homem Terá o Seu Pecado Lhe Imputado | 4.1.2

Ora, àquele que faz qualquer obra não lhe é imputado o galardão segundo a graça, mas segundo a dívida.

5 Mas, àquele que não pratica, mas crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é imputada como justiça.

Assim também Davi declara bem-aventurado o homem a quem Deus imputa a justiça sem as obras, dizendo:

Bem-aventurados aqueles cujas maldades são perdoadas,E cujos pecados são cobertos.

Bem-aventurado o homem a quem o Senhor não imputa o pecado.

Comentário

A imputação é quando Deus atribui a alguém ou pecado ou justiça. Em outras palavras, Deus decide se alguém é justo ou injusto. Aqui em capítulo quatro, Paulo usa esta palavra para descrever como Deus atribui (ou imputa) a justiça sem obras a crentes em Jesus Cristo.

Os ensinos de Paulo sobre imputação não eram novos, mas já eram ensinados nas Sagradas Escrituras. O primeiro livro da Bíblia, Gênesis, registra a imputação de justiça a Abraão por Deus. De todos as obras boas e más de Abraão, havia uma coisa importante a Deus—sua fé. Quando confiou em Deus, Deus lhe imputou esta fé por (ou, como) justiça (v.3). Isto é, embora Abraão, sendo pecador, não tivesse justiça aceitável, Deus lhe deu a justiça de Cristo pela fé. Você pode ler mais sobre a fé de Abraão e a justiça lhe imputada em Gn 15.


Deus não deve nada para ninguém; porém, se alguém tentar fazer qualquer obra para merecer o galardão, é como se Deus fosse seu devidor. Os melhores esforços do homem, porém, não são nada para Deus, mas sim trapo de imundícia (Is 64:6), tanto que não somente é impossível merecer o galardão, mas também é uma ideia bastante tola.

Os homens que fazem qualquer obra para merecer o galardão não confiam na justiça de Jesus Cristo, e não têm considerado a necessidade de terem seus pecados perdoados.

Paulo ensina que os homens que esperam ser suficientemente bons (ou, justos) a Deus (por praticar boas obras) não estão dependendo da “graça” de Deus. Àqueles, porém, que crêem que Deus justifica suas vidas ímpias através de Jesus Cristo, a sua fé é imputada como “justiça” (v.5).

O maior rei de Israel, Davi, era um tremendo homem de Deus. Ele disse que um homem está feliz (“bem-aventurado” vv.6 e 7) não quando vive uma vida perfeita, mas quando Deus não imputa sua vida imperfeita contra ele. Aquele homem tem experimentado perdão—pecado nenhum será lhe imputado.

KingDavid

Perguntas Interativas

  1. O que Abraão fez que levou Deus a atribuir-lhe justiça?
  2. Segundo o que é o galardão imputado àquele que faz qualquer obra?
  3. Quem disse: “Bem-aventurados aqueles cujas maldades são perdoadas, e cujos pecados são cobertos”?

Palavras-Chave

  • Abraão – Homem que os judeus consideram o seu pai; porém, na verdade ele é o pai de todos os que crêem
  • Bem-aventurado – Feliz
  • Bem-aventurados – Felizes
  • Carne – Aqui, a habilidade do homem ao invés da de Deus
  • Davi – O maior rei de Israel no Velho Testamento
  • Sagradas Escrituras – Aqui, os escritos distintamente autorados por Deus conhecidos como os livros velhotestamentários: Gênesis a Malaquias
  • Gloriar, se – Gabar; Ostentar
  • Graça – A bondade de Deus dada ao crente ainda que não a mereça
  • Ímpio – Sem Deus
  • Imputada – Atribuída; aqui, algo dado um atributo por causa de outro atributo
  • Imputado – Atribuído; aqui, algo dado um atributo por causa de outro atributo
  • Justiça – Aquilo que alcança o padrão de Deus
  • Justificado – Não culpado diante de Deus
  • Maldades – Pecados; más obras
  • Obras – Aqui, esforços humanos feitos para agradar a Deus
  • Pecado(s) – Desobediência(s) contra Deus
  • Perdoadas – Absolvidas; libertadas da penalidade do pecado

RM025 | Romanos | Índice de Capítulo 04

Capítulo 04 | A Justiça de Abraão

4.1.1 A Imputação da Fé (e Não das Obras) por Justiça (vv.1 a 11a)

4.1.1 As Sagradas Escrituras Mostram que Abraão Tinha a Sua Fé Lhe Imputado por Justiça

4.1.2 As Sagradas Escrituras Mostram que sem Fé o Homem Terá o Seu Pecado Lhe Imputado

4.1.3 As Sagradas Escrituras Mostram que Abraão Tinha a Imputação da Sua Fé por Justiça Antes da Sua Circuncisão

4.2.1 Deus Aceita a Fé para o Proveito de Todos (vv.11b a 25)

4.2.1 As Sagradas Escrituras Mostram que Abraão É o Pai de Todos os Crentes

4.2.2 As Sagradas Escrituras Mostram que a Fé É Imputada por Justiça para o Proveito de Toda a Humanidade

4.2.3 Os Escritos Judaicos (O Velho Testamento) Registra a Fé de Abraão para o Proveito de Todos os Crentes de Hoje