RM034 | Romanos 5:12 a 15 | Os Resultados do Ato de Adão versus os Resultados de Cristo

Texto Bíblico | De Adão Veio o Poder do Pecado para Matar, mas de Cristo Veio o Maior Poder da Graça para Vivificar | 5.2.1

12 Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram.

13 Porque até à lei estava o pecado no mundo, mas o pecado não é imputado, não havendo lei.

14 No entanto, a morte reinou desde Adão até Moisés, até sobre aqueles que não tinham pecado à semelhança da transgressão de Adão, o qual é a figura daquele que havia de vir.

15 Mas não é assim o dom gratuito como a ofensa. Porque, se pela ofensa de um morreram muitos, muito mais a graça de Deus, e o dom pela graça, que é de um só homem, Jesus Cristo, abundou sobre muitos.

Comentário

O pecado e a morte estão no mundo por causa de um homem, Adão. Ele foi o primeiro homem que Deus criou. Ele morava num mundo perfeito que não tinha nem pecado nem morte. Ele estava puro e reto diante de Deus. Quando, um dia, o grande inimigo de Deus, Satanás, tentou Adão, Adão caiu na tentação e pecou contra Deus. Deus tinha proibido que Adão comesse o fruto de uma árvore específica sob a penalidade da morte (Gn 2:17). A disobediência de Adão foi pecado. O pecado dele matou-o.

A morte de Adão não foi imediata. Ele e a sua esposa, Eva, tinham filhos, através dos qual veio a raça humana. Infelizmente, assim como todos os homens herdaram a semelhança de Adão, também herdaram o estado pecaminoso de Adão (v.12). Isto é óbvio porque ainda que ninguém tenha pecado exatamente igual a o de Adão, todos os homens morrem (“a morte reinou” v.14). Todos os homens morrem porque, assim como Adão pecou, todos os homens pecam.

A morte não é meramente a punição pelo pecado mas também a consequência natural do pecado (Tg 1:15). Paulo fala do tempo de “Adão até Moisés” (v.14) para mostrar este fato. Nos dias de Adão a Moisés não houve uma lei escrita de Deus. Alguns talvez achem que desde que não houvesse lei, não haveria pecado. Homens morreram, porém, ainda quando não havia lei—uma prova que o pecado existia sem violar uma lei escrita.

A lei, então, deve ser entendida, não como o criador do pecado, mas como o revelador do pecado (v.13). (Veja Rm 2:12 a 16 e seu comentário.) Deus já Se revelou a Si mesmo e Seu padrão na natureza (Rm 1:20). A humanidade violou este padrão nos dias da lei escrita e nos dias quando a lei não estava em vigor. As violações do homem contra o padrão de Deus eram suficientes para destruí-lo independentemente da lei escrita que traz condenação e punição.

Adão é o tipo (“figura” v.14) de Jesus Cristo, nem tanto por comparação, mas por contraste. Suas semelhanças são mais valorosas em mostrar suas diferenças. Isto levou Paulo a seu terceiro “muito mais.” Se o único pecado de Adão tinha o poder para matar, então “muito mais” a graça de Deus, que é vida eterna através de Jesus Cristo, (aqui, “o dom” v.15), tem o poder para vivificar! Isto é, o que um homem fez para matar não se compara com o que Deus fez para vivificar.

Perguntas Interativas

  1. Por quantos homens o pecado entrou no mundo?
  2. O que entrou no mundo pelo pecado?
  3. O que passou a todos os homens por isso que todos pecaram?
  4. Como é que sabemos que o pecado estava no mundo ainda que não houvesse lei nos dias entre Adão e Moisés?
  5. Por quantos homens a graça de Deus abundou sobre muitos?

Palavras-Chave

  • Abundou – Atravessou um limite
  • Adão – Aqui, a primeira pessoa que quebrou uma lei de Deus
  • Figura – Imagem; forma
  • Graça – A bondade de Deus para pessoas não merecedoras
  • Imputado – Reconhecido; Crido a ser verdadeiro porque é
  • Lei – Aqui, o padrão de Deus do certo e do errado dado aos judeus
  • Moisés – Aqui, a pessoa que recebeu a lei de Deus
  • Mundo – Humanidade
  • Ofensa – Aqui, injustiça contra Deus; falha
  • Pecado – Aqui, a tendência do homem a desobedecer Deus; a natureza pecaminosa
  • Pecaram – Aqui, desobedeceram a Deus
  • Portanto – Então; à visto disso
  • Reinou – Controlou; ficou na posição de um rei
  • Satanás – Anjo cujo orgulho foi punido por ele perder sua posição no céu, e cujas mentiras levam as pessoas a pecarem para que se destruam
  • Semelhança – Parecença
  • Tentou – Levou da verdade para o erro através das concupisciências (desejos pecaminosos) inteirnas
  • Transgressão – Pecado; atravessando uma linha que Deus desenhou; quebra de uma lei definida

RM015 | Romanos 2:12 a 16 | Deus Julga Todo Homem

Texto Bíblico | Deus Julgará Todo Homem Segundo os Segredos da Sua Consciência | 2.1.3

12 Porque todos os que sem lei pecaram, sem lei também perecerão; e todos os que sob a lei pecaram, pela lei serão julgados.

13 Porque os que ouvem a lei não são justos diante de Deus, mas os que praticam a lei hão de ser justificados.

14 Porque, quando os gentios, que não têm lei, fazem naturalmente as coisas que são da lei, não tendo eles lei, para si mesmos são lei;

15 Os quais mostram a obra da lei escrita em seus corações, testificando juntamente a sua consciência, e os seus pensamentos, quer acusando-os, quer defendendo-os;

16 No dia em que Deus há de julgar os segredos dos homens, por Jesus Cristo, segundo o meu evangelho.

Comentário

O pecado existe mesmo se Deus não revelasse sua lei (ou, padrão) contra ele (v.12). As vezes um professor ensinará os seus alunos: “Não fazemos as regras; são vocês que as fazem.” Por exemplo, uma escola escreveu uma regra contra andar na grama, porque os alunos negligentemente andavam na grama até que estivesse arruinada. Assim que eles escreveram a regra, os alunos poderiam ser justamente disciplinados. Obviamente a desatenção dos alunos existia antes da regra foi dada, mas com a lei o erro ficou claro.

Deus tem padrão de conduta também. É possível alguém violar este padrão e ser culpado sem saber. Paulo já declarou que o comportamento dos homens fica inescusável (Rm 1:20) porque viola o que a natureza revela de Deus, antes qualquer lei foi escrita. Portanto, o padrão moral de Deus é revelado pela natureza, mas é estabelecido pela lei.

Paulo então faz dois pontos importantes. Primeiro, o judeu é julgado pela lei (vv.12, 13). Segundo, o gentio é julgado pela consciência (vv.14, 15). Estes dois pontos tornam nulas, duas ideias falsas. A primeira ideia falsa ensina que os judeus, por meramente receberem a lei, são isentos da punição; porém, Deus julga diferentemente. O judeu pode ter a lei, mas  se ainda a viola, então permanece culpado.

A segunda ideia falsa ensina que os gentios não podem ser julgados sem a lei. A ideia, colocada como um pergunta, seria: “Como que pode um gentio ser culpado por uma lei que ele nunca conheceu?” O gentio, porém, é julgado pela lei escrita no seu coração. Deus poderá apontar à consciência do gentio que revelará sua transgressão do padrão de Deus. Em cada gentio permanece a sua consciência que acusa-o de ser culpado de pecados (v.15).

Paulo disse: “Deus há de julgar os segredos dos homens, por Jesus Cristo, segundo o meu evangelho” (v. 16). Isto é, a mensagem do evangelho inclui ambos uma descrição clara da profundeza do julgamento de Deus e Quem o Juiz será.

Primeiro, a profundeza do julgamento de Deus vai além das obras do homem—os externais, mas também aos segredos dos homens—os internais. A hipocrisia não terá mais um véu no Dia do Julgamento. Todo segredo da humanidade será descoberto perantes os olhos de Deus. Todas as desculpas dos judeus e dos gentios encolherão e morrerão.

Segundo, o próprio Juiz será Jesus Cristo. Tendo morado na terra, Ele conhece muito bem as tentações que todo homem sofre. (Mais sobre Jesus ,o Juiz, pode ser lido em Jo 5:22, 27; II Ts 1:7 a 10; II Tm 4:1.)

Perguntas Interativas

  1. Quem será justificado por Deus no julgamento?
  2. O que mostrará a obra da lei escrita nos corações daqueles que não tem a lei de Deus?
  3. No julgamento o que acusará ou defenderá os homens que nunca tinham a lei?

Palavras-Chave

  • Consciência – Conscientização interna do bem e do mal
  • Evangelho – As boas novas da obra completa de Jesus Cristo para salvar a humanidade do pecado
  • Gentios – Aqueles que não são judeus; Aqui, aqueles que nunca conheceram a lei de Deus dada aos judeus
  • Hipocrisia – Boas obras feitas por razões más
  • Julgados – Condenados
  • Justos – Pessoas que não são culpadas perante Deus
  • Justificados – O resultado de pessoas serem declarado desculpadas diante de Deus
  • Lei – Padrão do certo e do errado
  • Pecaram – Desobedeceram a Deus
  • Testificando – Testemunhando; Alegando a ser verdadeiro