RM033 | Romanos 5:6 a 11 | Os Resultados da Justificação pela Fé

Texto Bíblico | Justificação pela Fé Dá ao Homem a Demonstração sem Igual do Amor de Deus | 5.1.4

6 Porque Cristo, estando nós ainda fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios.

Porque apenas alguém morrerá por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém ouse morrer.

8 Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.

Texto Bíblico | Justificação pela Fé Dá ao Homem Reconciliação com Deus | 5.1.5

Logo muito mais agora, tendo sido justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira.

10 Porque se nós, sendo inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais, tendo sido já reconciliados, seremos salvos pela sua vida.

11 E não somente isto, mas também nos gloriamos em Deus por nosso Senhor Jesus Cristo, pelo qual agora alcançamos a reconciliação.

Comentário

Jesus Cristo morreu pela humanidade no tempo perfeito (v.6). Ele não era nem cedo nem tarde. A sua morte veio quando era bem óbvio que o homem precisava dEle. Todos os esforços do homem para fazer as coisas por si mesmo ao longo do tempo têm falhado. A história condena a humanidade como desesperadamente culpada diante de Deus. Isso magnifica o amor de Deus (e dá ao crente a maior razão para colocar a fé nEle). Ainda que poucos morram por alguém que não está machucando outros, ou ainda que alguns talvez morram por um homem que tem a vontade de ajudar outros (v.7), Jesus Cristo morreu pelos pecadores (v.8)! Não há amor maior do que isso! (Para um estudo mais avançado considere como um crente pode esperar para a graça de Deus suprir as suas necessidades na hora certa como a morte de Cristo pelos ímpios aconteceu na hora certa. Esta  é a conexão entre versículos 1 a 5 e 6 a 8.)


Versículo 9 começa com os famosos quatro “muito maises” de capítulo 5. (Estes são famosos porque maravilhosamente mostram que a grande obra de Deus através de Cristo excede o dano causado pelo pecado. Também, a obra de Cristo para justificar pecadores é superior a qualquer outra oferta feita por religões rivais.)

Primeiro, desde que Deus justifique pecadores pela morte (“sangue” v.9) de Jesus Cristo, então Ele “muito mais” jamais mostrará raiva (“ira”) estando agora desculpados. Isto plenamente significa que um homem que tem sido justificado permanecerá justificado. Segundo, desde que Deus estivesse disposto a trazer seus inimigos de volta no seu favor pela morte do Seu Filho, então “muito mais” os guardará no Seu favor, sendo agora Seus amigos, e Ele tem ressuscitado dos mortos (v.10).

Paulo então interpõe uma terceira razão depois do segundo “muito mais.” Ele disse: “E não somente isto, mas também nos gloriamos” (v.11). Lembre-se de que a primeira razão que crentes se gloriam é porque têm a esperança da glória de Deus (v.2). A segunda é que têm a graça de Deus em tribulação (v.3). Agora, a terceira é que têm Deus mesmo através da reconciliação de Jesus Cristo. Não há uma maior razão para se gloriar!

Perguntas Interativas

  1.  A qual tempo Cristo morreu pelos ímpios da humanidade?
  2. O que somos quando Cristo morreu por nós?
  3. O que nos justifica?
  4. O que nos reconcilia com Deus?

Palavras-Chave

  • Gloriamos – Aqui, regozijamos
  • Ímpios – Sem Deus; maus
  • Ira – Raiva
  • Justificados – Ser feito desculpado diante de Deus
  • Justo – Sem culpa
  • Pecadores – Os que têm a propensão para o mal
  • Prova – Demonstra de tal forma que não há mais uma dúvida
  • Reconciliação – Relacionamento restaurado
  • Reconciliados – Os cujo relacionamento está restaurado

RM032 | Romanos 5:1 a 5 | Os Resultados da Justificação pela Fé

Texto Bíblico | Justificação pela Fé Dá ao Homem Paz com Deus | 5.1.1

TENDO sido, pois, justificados pela , temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo;

Texto Bíblico | Justificação pela Fé Dá ao Homem Entrada à Graça | 5.1.2

2 Pelo qual também temos entrada pela a esta graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança da glória de Deus.

Texto Bíblico | Justificação pela Fé Dá ao Homem Glória nas Suas Tribulações | 5.1.3

3 E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência,

4 E a paciência a experiência, e a experiência a esperança.

5E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado.

 Comentário

A fé dá ao homem “paz [imediato] com Deus” (v.1). É concordar com Deus que [1] a dívida do pecado é grande, e [2] somente a morte de Jesus Cristo paga-a completamente. Deus aceita tal fé, justifica o homem por apagar seu registro do pecado e então lhe dá o registro perfeito de Jesus Cristo (II Co 5:20, 21). Isto termina a guerra do homem contra Deus.


Deus continua a ser gracioso ao crente. Primeiro, Ele deixa o crente ficar de pé sem vergonha na Sua presença (v.2). Nada na vida do crente pode danificar esta posição. Segundo, ele é permitido a gloriar-se (“nos gloriamos”) com expectativa ousada (“esperança”) que verá e participará da glória de Deus!


Terceiro, desde que a graça de Deus seja tão acessível, crentes não precisam temer a morte. Assim como Deus levantou Cristo dos mortos, também os levantarão. Agora crentes podem suportar “tribulações” (v.3) inclusive a ameaça da morte, porque estes nunca terão a sua posição mudada diante de Deus. Na verdade, crentes pode mais que suportar; podem se gloriar.

Por que um crente deve regozijar-se nas tribulações? Elas revelam a graça de Deus, exibindo o cuidado tenro de Deus no meio de tais dificuldades. Enquanto suporta e se regozija, Deus supre as necessidades—as vezes, milagrosamente! As situações impossíveis se tornam possíveis através da graça. Ao invés de temer consequências ruins, o crente antecipa mais um ato de Deus!

Esta experiência bendita melhora a paciência do crente (v.4). Sua vida está cheia com “esperança,” que não é desejo vazio, mas expectativa ousada. Muitas vezes aqueles que vivem com tal esperança são questionados (I Pe 3:15, 16) ou até criticados porque seu comportamento parece quase irreal. Mas, tal vida é muito real, e “não traz confusão” (v.5), ou seja, vergonha.

O amor de Deus está derramado no coração do crente. O Espírito Santo, o grande Consolador de Deus, revela o grande amor ao crente. Quanto mais ele compreende aquele amor, mais ele está disposto a confiar em Deus com sua vida.

Estes poucos versículos são simples mas contêm uma descrição vívida da vida de alguém justificado pela fé.

Perguntas Interativas

  1. O que justifica o homem?
  2. Por quem temos paz com Deus?
  3. O que nos dá entrada à graça de Deus na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança da glória de Deus?
  4. Por que nós, que temos entrada à graça de Deus, nos gloriamos nas tribulações?
  5. A experiência de suportarmos pacientemente as tribulações produz o que nas nossas vidas enquanto dependemos da graça de Deus?
  6. Por que a esperança não traz confusão?

Palavras-Chave

  • Confusão – Desonhra; humilhação; vergonha
  • Derramado – Despejado
  • Esperança – Expectativa ousada
  • Espírito Santo – A terceira pessoa da Trindade; Deus
  • – Convicção da verdade de algo
  • Glória – A honra que Deus dará aos crentes no futuro (céu, etc.)
  • Gloriamos – Regozijamos
  • Graça – O favor de Deus que o recipiente não merece
  • Justificados – Justos pelo ato de Cristo morrer na cruz, pagando a dívida do pecado
  • Tribulação – Opressão, aflição, angústia, dilema
  • Tribulações – Opressões, aflições, angústias, dilemas

RM031 | Romanos | Índice de Capítulo 05

Capítulo 05 | Justificação pela Fé

5.1.1 Os Resultados da Justificação pela Fé (vv.1 a 11)

5.1.1 Justificação pela Fé Dá ao Homem Paz com Deus

5.1.2 Justificação pela Fé Dá ao Homem Entrada à Graça

5.1.3 Justificação pela Fé Dá ao Homem Glória nas Suas Tribulações

5.1.4 Justificação pela Fé Dá ao Homem a Demonstração sem Igual do Amor de Deus

5.1.5 Justificação pela Fé Dá ao Homem Reconciliação com Deus

5.2.1 Os Resultados do Ato de Adão versus os Resultados de Cristo (vv.12 a 19)

5.2.1 De Adão Veio o Poder do Pecado para Matar, mas de Cristo Veio o Maior Poder da Graça para Vivificar

5.2.2 De um Pecado de Adão Muitos foram Condenados, mas de um Dom de Cristo Pecadores São Justificados de Todos os Seus Pecados

5.2.3 Do Pecado de Adão Todos os Homens São Condenados, mas da Justiça de Cristo Todos Podem Ser Justificados

5.3.1 A Revelação da Lei (vv.20, 21)

5.3.1 A Lei (Primeira Etapa): Revela a Malignidade do Pecado do Homem

5.3.2 A Lei (Segunda Etapa): Revela a Grandeza da Graça de Deus

RM023 | Romanos 3:21 a 26 | O Propósito da Lei Revelado por Fracassos Judaicos

Texto Bíblico | A Lei e os Profetas Testemunhavam a Justiça de Deus em Jesus Cristo | 3.2.3

21 Mas agora se manifestou sem a lei a justiça de Deus, tendo o testemunho da lei e dos profetas;

22 Isto é, a justiça de Deus pela em Jesus Cristo para todos e sobre todos os que crêem; porque não há diferença.

23 Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;

24 Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus.

25 Ao qual Deus propôs para propiciação pela no seu sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus;

26 Para demonstração da sua justiça neste tempo presente, para que ele seja justo e justificador daquele que tem em Jesus.

Comentário

Antes da vinda de Jesus Cristo, Deus revelou a justiça pela lei. “Mas agora” (v.21) Ele revelou “sem a lei a justiça de Deus” através de Jesus Cristo.

A lei e os profetas das Sagradas Escrituras tinham testificado de Jesus Cristo e da Sua justiça. Esta justiça não vem pelos esforços do homem para guardar a lei, mas “pela fé” (v.22). O homem é incapaz de obedecer perfeitamente a lei. Não consegue alcançar a justiça necessária para ser aceito por Deus.

A justiça que o homem precisa vem através de Jesus Cristo. Qualquer homem, mulher, menino ou menina quer seja judeu ou gentio—sendo que todos são igualmente pecadores condenados (v.23)—pode receber a justiça através de Jesus Cristo, se confiar somente nEle.

Deus liberta todos da escravidão da lei quando crêem (v.24). No que devem crer? Paulo diz que deve pôr “fé no seu sangue” (v.25). Isso conecta a pessoa de Jesus Cristo com a obra de Jesus Cristo. Alguém não deve somente crer na existência de Jesus Cristo ou meramente que Ele é o Filho de Deus, mas também deve crer que há perdão do pecado através Sua morte na cruz.

Paulo, aqui, chama Jesus da “propiciação” (v.25). Esta palavra, querendo dizer satisfação, mostra o que o homem precisava e o que Jesus providenciou. O homem precisava satisfazer a Deus, especificamente, a dívida que devia por quebrar a lei de Deus. Jesus Cristo viveu perfeitamente segundo o padrão da lei. Quando Ele foi crucificado na cruz, Sua morte foi o pagamento pelos pecados que nunca cometeu. Aquele pagamento então é suficiente para satisfazer a dívida da humanidade, e é eficiente a todos que colocam sua fé em Jesus Cristo. (Para um estudo mais avançado, considere I Jo 2:1, 2).

Por esta propiciação Deus declarou novamente “sua justiça” (v.26). Deus não somente perdoou o pecado do homem, mas permaneceu justo em perdoar assim. De qual maneira? Ele perdoou o homem através da morte do Seu Filho, uma morte que era substitutiva. Deus ainda pune o pecado, mas em vez de matar o pecador, Cristo foi morto no seu lugar. Deus, então permanece “justo e justificador” (v.26).

Perguntas Interativas

  1. O que e quem testemunharam a justiça de Deus cumprida pela fidelidade de Jesus Cristo?
  2. O que alguém deve fazer para ter a justiça de Deus por Jesus Cristo?
  3. Quem se tornou a propiciação de Deus, fornecendo a justiça necessária para os pecados serem remidos?

Palavras-Chave

  • – Aqui, Confiança; Crença de todo o coração
  • Glória – Esplendor
  • Justiça – Aquilo que satisfaz o padrão de Deus
  • Justificador – Alguém que declara que outra pessoa não é culpada
  • Justificados – Liberados da penalidade do pecado, como se nunca pecassem
  • Justo – Imparcial; reto
  • Lei – Aqui, o padrão divino escrito do certo e do errado dado aos judeus
  • Manifestou, se – É revelado
  • Paciência – Tolerância
  • Pecaram – Desobedeceram a Deus
  • Profetas – Aqui, escritores das Sagradas Escrituras que predisseram de Jesus Cristo e da Sua obra para salvar o homem do pecado
  • Propiciação – Satisfação; conciliação
  • Remissão – Omissão
  • Substitutiva – No lugar de outro
  • Testemunho – Observação

RM015 | Romanos 2:12 a 16 | Deus Julga Todo Homem

Texto Bíblico | Deus Julgará Todo Homem Segundo os Segredos da Sua Consciência | 2.1.3

12 Porque todos os que sem lei pecaram, sem lei também perecerão; e todos os que sob a lei pecaram, pela lei serão julgados.

13 Porque os que ouvem a lei não são justos diante de Deus, mas os que praticam a lei hão de ser justificados.

14 Porque, quando os gentios, que não têm lei, fazem naturalmente as coisas que são da lei, não tendo eles lei, para si mesmos são lei;

15 Os quais mostram a obra da lei escrita em seus corações, testificando juntamente a sua consciência, e os seus pensamentos, quer acusando-os, quer defendendo-os;

16 No dia em que Deus há de julgar os segredos dos homens, por Jesus Cristo, segundo o meu evangelho.

Comentário

O pecado existe mesmo se Deus não revelasse sua lei (ou, padrão) contra ele (v.12). As vezes um professor ensinará os seus alunos: “Não fazemos as regras; são vocês que as fazem.” Por exemplo, uma escola escreveu uma regra contra andar na grama, porque os alunos negligentemente andavam na grama até que estivesse arruinada. Assim que eles escreveram a regra, os alunos poderiam ser justamente disciplinados. Obviamente a desatenção dos alunos existia antes da regra foi dada, mas com a lei o erro ficou claro.

Deus tem padrão de conduta também. É possível alguém violar este padrão e ser culpado sem saber. Paulo já declarou que o comportamento dos homens fica inescusável (Rm 1:20) porque viola o que a natureza revela de Deus, antes qualquer lei foi escrita. Portanto, o padrão moral de Deus é revelado pela natureza, mas é estabelecido pela lei.

Paulo então faz dois pontos importantes. Primeiro, o judeu é julgado pela lei (vv.12, 13). Segundo, o gentio é julgado pela consciência (vv.14, 15). Estes dois pontos tornam nulas, duas ideias falsas. A primeira ideia falsa ensina que os judeus, por meramente receberem a lei, são isentos da punição; porém, Deus julga diferentemente. O judeu pode ter a lei, mas  se ainda a viola, então permanece culpado.

A segunda ideia falsa ensina que os gentios não podem ser julgados sem a lei. A ideia, colocada como um pergunta, seria: “Como que pode um gentio ser culpado por uma lei que ele nunca conheceu?” O gentio, porém, é julgado pela lei escrita no seu coração. Deus poderá apontar à consciência do gentio que revelará sua transgressão do padrão de Deus. Em cada gentio permanece a sua consciência que acusa-o de ser culpado de pecados (v.15).

Paulo disse: “Deus há de julgar os segredos dos homens, por Jesus Cristo, segundo o meu evangelho” (v. 16). Isto é, a mensagem do evangelho inclui ambos uma descrição clara da profundeza do julgamento de Deus e Quem o Juiz será.

Primeiro, a profundeza do julgamento de Deus vai além das obras do homem—os externais, mas também aos segredos dos homens—os internais. A hipocrisia não terá mais um véu no Dia do Julgamento. Todo segredo da humanidade será descoberto perantes os olhos de Deus. Todas as desculpas dos judeus e dos gentios encolherão e morrerão.

Segundo, o próprio Juiz será Jesus Cristo. Tendo morado na terra, Ele conhece muito bem as tentações que todo homem sofre. (Mais sobre Jesus ,o Juiz, pode ser lido em Jo 5:22, 27; II Ts 1:7 a 10; II Tm 4:1.)

Perguntas Interativas

  1. Quem será justificado por Deus no julgamento?
  2. O que mostrará a obra da lei escrita nos corações daqueles que não tem a lei de Deus?
  3. No julgamento o que acusará ou defenderá os homens que nunca tinham a lei?

Palavras-Chave

  • Consciência – Conscientização interna do bem e do mal
  • Evangelho – As boas novas da obra completa de Jesus Cristo para salvar a humanidade do pecado
  • Gentios – Aqueles que não são judeus; Aqui, aqueles que nunca conheceram a lei de Deus dada aos judeus
  • Hipocrisia – Boas obras feitas por razões más
  • Julgados – Condenados
  • Justos – Pessoas que não são culpadas perante Deus
  • Justificados – O resultado de pessoas serem declarado desculpadas diante de Deus
  • Lei – Padrão do certo e do errado
  • Pecaram – Desobedeceram a Deus
  • Testificando – Testemunhando; Alegando a ser verdadeiro