RM032 | Romanos 5:1 a 5 | Os Resultados da Justificação pela Fé

Texto Bíblico | Justificação pela Fé Dá ao Homem Paz com Deus | 5.1.1

TENDO sido, pois, justificados pela , temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo;

Texto Bíblico | Justificação pela Fé Dá ao Homem Entrada à Graça | 5.1.2

2 Pelo qual também temos entrada pela a esta graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança da glória de Deus.

Texto Bíblico | Justificação pela Fé Dá ao Homem Glória nas Suas Tribulações | 5.1.3

3 E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência,

4 E a paciência a experiência, e a experiência a esperança.

5E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado.

 Comentário

A fé dá ao homem “paz [imediato] com Deus” (v.1). É concordar com Deus que [1] a dívida do pecado é grande, e [2] somente a morte de Jesus Cristo paga-a completamente. Deus aceita tal fé, justifica o homem por apagar seu registro do pecado e então lhe dá o registro perfeito de Jesus Cristo (II Co 5:20, 21). Isto termina a guerra do homem contra Deus.


Deus continua a ser gracioso ao crente. Primeiro, Ele deixa o crente ficar de pé sem vergonha na Sua presença (v.2). Nada na vida do crente pode danificar esta posição. Segundo, ele é permitido a gloriar-se (“nos gloriamos”) com expectativa ousada (“esperança”) que verá e participará da glória de Deus!


Terceiro, desde que a graça de Deus seja tão acessível, crentes não precisam temer a morte. Assim como Deus levantou Cristo dos mortos, também os levantarão. Agora crentes podem suportar “tribulações” (v.3) inclusive a ameaça da morte, porque estes nunca terão a sua posição mudada diante de Deus. Na verdade, crentes pode mais que suportar; podem se gloriar.

Por que um crente deve regozijar-se nas tribulações? Elas revelam a graça de Deus, exibindo o cuidado tenro de Deus no meio de tais dificuldades. Enquanto suporta e se regozija, Deus supre as necessidades—as vezes, milagrosamente! As situações impossíveis se tornam possíveis através da graça. Ao invés de temer consequências ruins, o crente antecipa mais um ato de Deus!

Esta experiência bendita melhora a paciência do crente (v.4). Sua vida está cheia com “esperança,” que não é desejo vazio, mas expectativa ousada. Muitas vezes aqueles que vivem com tal esperança são questionados (I Pe 3:15, 16) ou até criticados porque seu comportamento parece quase irreal. Mas, tal vida é muito real, e “não traz confusão” (v.5), ou seja, vergonha.

O amor de Deus está derramado no coração do crente. O Espírito Santo, o grande Consolador de Deus, revela o grande amor ao crente. Quanto mais ele compreende aquele amor, mais ele está disposto a confiar em Deus com sua vida.

Estes poucos versículos são simples mas contêm uma descrição vívida da vida de alguém justificado pela fé.

Perguntas Interativas

  1. O que justifica o homem?
  2. Por quem temos paz com Deus?
  3. O que nos dá entrada à graça de Deus na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança da glória de Deus?
  4. Por que nós, que temos entrada à graça de Deus, nos gloriamos nas tribulações?
  5. A experiência de suportarmos pacientemente as tribulações produz o que nas nossas vidas enquanto dependemos da graça de Deus?
  6. Por que a esperança não traz confusão?

Palavras-Chave

  • Confusão – Desonhra; humilhação; vergonha
  • Derramado – Despejado
  • Esperança – Expectativa ousada
  • Espírito Santo – A terceira pessoa da Trindade; Deus
  • – Convicção da verdade de algo
  • Glória – A honra que Deus dará aos crentes no futuro (céu, etc.)
  • Gloriamos – Regozijamos
  • Graça – O favor de Deus que o recipiente não merece
  • Justificados – Justos pelo ato de Cristo morrer na cruz, pagando a dívida do pecado
  • Tribulação – Opressão, aflição, angústia, dilema
  • Tribulações – Opressões, aflições, angústias, dilemas

RM014 | Romanos 2:6 a 11 | Deus Julga Todo Homem

Texto Bíblico | Deus Julgará Todo Homem Segundo as Suas Obras | 2.1.2

O qual recompensará cada um segundo as suas obras; a saber:

A vida eterna aos que, com perseverança em fazer bem, procuram glória, honra e incorrupção;

Mas a indignação e a ira aos que são contenciosos, desobedientes à verdade e obedientes à iniqüidade;

Tribulação e angústia sobre toda a alma do homem que faz o mal; primeiramente do judeu e também do grego;

10 Glória, porém, e honra e paz a qualquer que pratica o bem; primeiramente ao judeu e também ao grego;

11 Porque, para com Deus, não há acepção de pessoas.

Comentário

Deus vê todo povo como igual no Dia do Julgamento. Embora os homens tenham diferenças de finanças, cor de pele, língua, herança, idade, profissão, estes não alteram o estado eterno do homem. Até os judeus, escolhidos por Deus, não têm alegações que podem fazer diante dEle (vv.10, 11). Deus determina o status eterno de cada homem segundo uma coisa só—suas obras (v.6).

Deus sabe tudo que cada homem tem feito. Não separará, porém, todo homem em centenas ou milhares de categorias—somente em duas. Aqueles na primeira categoria  receberão a vida eterna e todos os seus benefícios, enquanto os outros da segunda categoria receberão exatamente o oposto—baderna, aflição, tristeza, etc. Pode ler mas sobre o Dia do Julgamento nas seguintes passagens: Dn 12:2; Mt 25:31 a 46; Lc 16:19 a 31; Jo 5:24 a 29; At 24:15; Ap 20:11 a 15.

Primeiro, Paulo descreve aqueles que receberão a vida eterna. Eles pacientemente aguentam a inquietação do mundo sempre sucedendo em fazer a coisa certa enquanto buscam os dons de Deus sozinho (v.7). Que descrição linda de uma pessoa!

Alguém pergunta: “Quem conhece alguém assim?” A resposta a esta pergunta, porém, é ninguém. (Paulo já concluiu que não há ninguém bom; ninguém vive assim.) Aqui está uma situação hipotética para ilustrar o ponto. Não é para levar-nos a achar que podemos ser perfeitos perante Deus através dos nossos esforços, mas que os requerimentos de recebermos a vida eterna excede o que qualquer homem pode realizar.

Em segundo lugar, Paulo descreve aqueles que não receberam a vida eterna. Eles contendam com Deus por não obedecerem a verdade (v.8). Em vez disso, fazem coisas que não chegam aos padrões de Deus. Estas pessoas são dignas de tristeza, baderna e sofrimento (v.9).

Claro, esta é a condenação miserável que será passado sobre todo homem. Assim como ninguém é digno de vida eterna, então todo homem é digno do tormento eterno.

(Nós, que somos cristãos, ficamos em pé e exlamamos: “Deus seja louvado! Há ainda esperança! Jesus morreu por nós!”)

Perguntas Interativas

  1. O que é que os homens não obedecem quando Deus lhes dá indignação, ira, tribulação e angústia no julgamento?
  2. Quem primeiramente receberá de Deus tribulação e angústia?
  3. Quem não faz acepção de pessoas no julgamento?

Palavras-Chave

  • Acepção de pessoas – Parcialidade
  • Angústia – Sofrimento; grande aflição
  • Contenciosos – Aqui, contra Deus
  • Eterna – Sem começo ou fim; para sempre
  • Fazer bem – Boas obras
  • Glória – Condição maravilhoso de ser abençoado por Deus
  • Grego – Aqui, não judeu
  • Honra – Favor divino
  • Incorrupção – Não morrerá
  • Indignação – Cólera
  • Iniqüidade – Perversidade; pecado
  • Judeu – Aqui, a descendência de Abraão (1900s BC)
  • Recompensará – Pagará; retribuirá; dará
  • Tribulação – Agonia; opressão; sofrimento