RM024 | Romanos 3:27 a 31 | O Propósito da Lei Revelado por Fracassos Judaicos

Texto Bíblico | A Lei Tira a Bazófia de Todo Homem | 3.2.4

27 Onde está logo a jactância? É excluída. Por qual lei? Das obras? Não; mas pela lei da

28 Concluímos, pois, que o homem é justificado pela sem as obras da lei.

29 É porventura Deus somente dos judeus? E não o é também dos gentios? Também dos gentios, certamente, 

30 Visto que Deus é um só, que justifica pela a circuncisão, e por meio da a incircuncisão.

Texto Bíblico | A Lei É Estabelecida Através da Justificação pela Fé | 3.2.5

31 Anulamos, pois, a lei pela ? De maneira nenhuma, antes estabelecemos a lei.

Comentário

Se por acaso haja uma lei que faz os homens aceitáveis ao ver de Deus, Paulo conclui que é “a lei da fé” (v.27). Neste uso da palavra “lei,” Paulo está fazendo um jogo de palavras. A palavra “lei” pode se referir especificamente à lei de Deus ou simplesmente a um padrão fixo. Por isso, então, alguém pode dizer que há uma lei pela qual os homens são justificados, mas não é a lei dada aos judeus. Ao invés disso, é o padrão fixo da fé em Jesus Cristo; isto é, somente uma regra deve ser obedecido para o perdão—a crença em Cristo.

O perdão que vem através da fé é para ambos os judeus e gentios (v.29). Paulo basea isso no fato que “Deus é um só” (v.30).


Em conclusão, Paulo fala mais uma vez por causa dos seus oponentes. Eles argumentavam que os ensinos de Paulo fizeram que a lei dada aos judeus fosse desnecessária (At 21:28). Paulo nunca alegou isto. Na verdade, seus ensinos não danificam a lei, mas sim estabelecem a lei (v.31). De qual maneira? Enquanto a lei poderia existir sem o evangelho, o evangelho nunca poderia existir sem a lei.

(Por um estudo mais avançado, considere de qual maneira a lei leva os homens a Cristo e é, portanto, uma parte muito importante do evangelho. Veja Gl 3:24. Também, lembre-se de que a ausência da lei nas vidas dos gentios não significa que o evangelho é desnecessário para eles. Eles têm a obra da lei nos seus corações. Revise capítulo 2 para entender isso.)

Perguntas Interativas

  1. O que justifica o homem nos olhos de Deus?
  2. Qual resultado vem à lei pelos ensinos de Paulo?

Palavras-Chave

  • Anulamos – Abolimos; negamos a importância; eliminamos; cancelamos a validade
  • Circuncisão – Aqui, os judeus sendo identificados pela remissão da carne
  • Incircuncisão – Aqui, os gentios sendo identificados por não ter a remoção da carne
  • Estabelecemos – Aqui, confirmamos a validade e força
  • Gentios – Aqui, os que não são judeus
  • – Aqui, confiança
  • Lei – Aqui, padrão que não muda
  • Jactância – Ato de gloriar-se; bazófia
  • Justifica – Libera da penalidade do pecado; faz não condenado
  • Justificado – Considerado não culpado diante de Deus
  • Judeus – Aqui, aqueles que foram dados a lei de Deus
  • Obras – Atos
  • Porventura – Talvez

RM019 | Romanos 3:1 a 4 | A Vantagem do Judeu Revelada por Objeções Judaicos

Texto Bíblico | Paulo Faz o Judeu Orgulhoso Lembrar que o Seu Coração É o Que Importa a Deus | 3.1.1

QUAL é logo a vantagem do judeu? Ou qual a utilidade da circuncisão?

Muita, em toda a maneira, porque, primeiramente, as palavras de Deus lhe foram confiadas.

Texto Bíblico | A Fidelidade de Deus ao Judeu Embora Falte Fé em Alguns Judeus | 3.1.2

Pois quê? Se alguns foram incrédulos, a sua incredulidade aniquilará a fidelidade de Deus?

De maneira nenhuma; sempre seja Deus verdadeiro, e todo o homem mentiroso; como está escrito: Para que sejas justificado em tuas palavras, E venças quando fores julgado.

Comentário

O evangelho sempe tem tido oposição, especialmente pelos judeus, pois as reivindicações do evangelho pertubam o conforto que eles recebem das suas práticas religosas e da sua herança judaica. Além disso, os judeus são humilhados, porque o evangelho mostra que eles não são melhores do que os gentios.

Os judeus muitas vezes contendavam com Paulo e ocasionalmente ficavam violentos. Deus protegia Paulo e lhe permitia colocar por escrito os seus argumentos. Capítulo três especialmente mostra os resultados disso. Enquanto Paulo apresentava a verdade evangelho aos judeus, eles retornaram com perguntas. Paulo escreve este capítulo antecipando aquelas mesmas perguntas; portanto, o leitor deve notar este diálogo. Paulo presentará a verdade e também fará as perguntas dos seus leitores.

Primeiro, os judeus alegavam que o evangelho faz que ser judeu seja sem valor (v.1). Paulo contesta este argumento. A humanidade precisa saber quem Deus é, e Deus especificamente decidiu confiar este conhecimento aos judeus. Nenhum outro povo na terra tinha as Sagradas Escrituras (“as palavras de Deus” v.2) naquela época. Enquanto a natureza revela a divindade e o poder eterno de Deus, somente as Escrituras revelam quem Ele é e o que Ele espera da humanidade. Isso dá os judeus vantagem tremenda sobre os gentios.


Em segundo lugar, os judeus argumentavam que se ser judeu não concede favor com Deus, então Deus deve ser culpado por não cumprir as promessas aos judeus (v.3). Por quê? Desde o promessa de Deus para fielmente abençoar os judeus requeria que os judeus permanecessem fieis a Ele, e eles falharam, então Suas promessas não adiantam. Deus e Suas “palavras” permanecem verdadeiros, mesmo assim, não importando como os judeus mau manejam-os. Paulo então cita as Sagradas Escrituras (Sl 116:11) que levam a uma conclusão: Quando Deus é difícil de ser entendido sempre conclua que Ele está certo, ainda que pareça errado (v.4)

Perguntas Interativas

  1. O que foi confiado aos judeus que lhes deu a vantagem sobre os gentios?
  2. Qual foi a resposta de Paulo à questão de saber se a descrença por parte de alguns dos judeus aniquilaria a fidelidade de Deus?

Palavras-Chave

  • Circuncisão – Aqui, a prática de remover a carne
  • Divindade – O fato que Deus é Deus
  • Eterno – Sem princípio e sem fim; para sempre
  • Fidelidade – Não parar de fazer o certo
  • Gentios – Aqui, os que não são judeus
  • Judeu – Aqui, alguém especialmente dado a lei de Deus
  • Justificado – Sem pecado; sem culpa
  • Sagradas Escrituras – Aqui, escritos distintamente inspirados por Deus conhecidos como os livros do Velho Testamento; Gênesis a Malaquias

RM016 | Romanos 2:17 a 24 | Deus Julga Ambos o Judeu e o Gentio

Texto Bíblico | Paulo Trata o Judeu Orgulhoso e Sua Alta Visão de Si Mesmo | 2.2.1

17 Eis que tu que tens por sobrenome judeu, e repousas na lei, e te glorias em Deus;

18 E sabes a sua vontade e aprovas as coisas excelentes, sendo instruído por lei;

19 E confias que és guia dos cegos, luz dos que estão em trevas,

20 Instruidor dos néscios, mestre de crianças, que tens a forma da ciência e da verdade na lei;

Texto Bíblico | Paula Encoraja o Judeu Orgulhoso a Repensar a Sua Posição | 2.2.2

21 Tu, pois, que ensinas a outro, não te ensinas a ti mesmo? Tu, que pregas que não se deve furtar, furtas?

22 Tu, que dizes que não se deve adulterar, adulteras? Tu, que abominas os ídolos, cometes sacrilégio?

23 Tu, que te glorias na lei, desonras a Deus pela transgressão da lei?

24 Porque, como está escrito, o nome de Deus é blasfemado entre os gentios por causa de vós.

Comentário

O judeu tinha a lei e ouvia a lei mas não seguia a lei. Paulo lida com este orgulho por simplesmente chamar atenção a ele. A fonte do descanso e da confiança do judeu não estava na prática da lei, somente na posse dela. Isto levou eles a se exaltar sobre outros (vv.19, 20). “A ciência incha” e eles estavam inchados (I Co 8:1). Um homem é sábio, porém, não meramente quando sabe algo, mas quando faz o que sabe. Então e só então, se torna apto para liderar os outros.

Na verdade, muitos judeus tinham uma maior lealdade às tradições feitas pelos homens do que pela lei. Eles substituiram as tradições pela lei. (Para um estudo mais avançado, note o conflito entre a lei e a tradição judaica em Mt 15.)


 

A arrogância leva à ignorância. Estes judeus falharam a se ver corretamente por causa do orgulho (vv.21 a 23). Na verdade, não eram somente ignorantes de si, mas também das Escrituras. Seu próprio Velho Testamento ensinava que os judeus tinham vivido erradamente de forma que os gentios falassem mau de Deus (v.24). Duas passagens específicas são dignas de ser anotadas, Is 52:5 e Ez 36:20 a 23. Se eles tivessem conhecido o significado destas passagens, teriam sido menos propensos a se vangloriar.

Perguntas Interativas

  1. O que o judeu tinha que infelizmente provocou orgulho nele, levando-o a achar que ele mesmo era guia dos cegos e luz dos que estão em trevas?
  2. O nome de quem era blasfemado entre os gentios por causa da desobediência dos judeus?

Palavras-Chave

  • Abominas – Odeias; detestas; Estas revoltado com
  • Blasfemados – Profanados
  • Eis – Olhe [!]
  • Escrituras – Aqui, os escritos especificamente autorados por Deus conhecidos como os livros do Velho Testamento: Gênesis a Malaquias
  • Gentios – Todos que não são judeus; Aqui, aqueles que nunca conheciam a lei de Deus dada aos judeus
  • Ídolos – Falsos deuses normalmente representados por uma estátua, imagem
  • Judeu – Aqui, aqueles especificamente dados a lei de Deus
  • Lei – Aqui, o padrão escrito de Deus do certo e do errado dado aos judeus
  • Sacrilégio – Profanar as coisas de Deus; Abuso ou uso impróprio das coisas de Deus
  • Verdade – Interpretação correta da realidade; aqui, a interpretação correta do padrão de Deus
  • Vontade – Desejos

RM015 | Romanos 2:12 a 16 | Deus Julga Todo Homem

Texto Bíblico | Deus Julgará Todo Homem Segundo os Segredos da Sua Consciência | 2.1.3

12 Porque todos os que sem lei pecaram, sem lei também perecerão; e todos os que sob a lei pecaram, pela lei serão julgados.

13 Porque os que ouvem a lei não são justos diante de Deus, mas os que praticam a lei hão de ser justificados.

14 Porque, quando os gentios, que não têm lei, fazem naturalmente as coisas que são da lei, não tendo eles lei, para si mesmos são lei;

15 Os quais mostram a obra da lei escrita em seus corações, testificando juntamente a sua consciência, e os seus pensamentos, quer acusando-os, quer defendendo-os;

16 No dia em que Deus há de julgar os segredos dos homens, por Jesus Cristo, segundo o meu evangelho.

Comentário

O pecado existe mesmo se Deus não revelasse sua lei (ou, padrão) contra ele (v.12). As vezes um professor ensinará os seus alunos: “Não fazemos as regras; são vocês que as fazem.” Por exemplo, uma escola escreveu uma regra contra andar na grama, porque os alunos negligentemente andavam na grama até que estivesse arruinada. Assim que eles escreveram a regra, os alunos poderiam ser justamente disciplinados. Obviamente a desatenção dos alunos existia antes da regra foi dada, mas com a lei o erro ficou claro.

Deus tem padrão de conduta também. É possível alguém violar este padrão e ser culpado sem saber. Paulo já declarou que o comportamento dos homens fica inescusável (Rm 1:20) porque viola o que a natureza revela de Deus, antes qualquer lei foi escrita. Portanto, o padrão moral de Deus é revelado pela natureza, mas é estabelecido pela lei.

Paulo então faz dois pontos importantes. Primeiro, o judeu é julgado pela lei (vv.12, 13). Segundo, o gentio é julgado pela consciência (vv.14, 15). Estes dois pontos tornam nulas, duas ideias falsas. A primeira ideia falsa ensina que os judeus, por meramente receberem a lei, são isentos da punição; porém, Deus julga diferentemente. O judeu pode ter a lei, mas  se ainda a viola, então permanece culpado.

A segunda ideia falsa ensina que os gentios não podem ser julgados sem a lei. A ideia, colocada como um pergunta, seria: “Como que pode um gentio ser culpado por uma lei que ele nunca conheceu?” O gentio, porém, é julgado pela lei escrita no seu coração. Deus poderá apontar à consciência do gentio que revelará sua transgressão do padrão de Deus. Em cada gentio permanece a sua consciência que acusa-o de ser culpado de pecados (v.15).

Paulo disse: “Deus há de julgar os segredos dos homens, por Jesus Cristo, segundo o meu evangelho” (v. 16). Isto é, a mensagem do evangelho inclui ambos uma descrição clara da profundeza do julgamento de Deus e Quem o Juiz será.

Primeiro, a profundeza do julgamento de Deus vai além das obras do homem—os externais, mas também aos segredos dos homens—os internais. A hipocrisia não terá mais um véu no Dia do Julgamento. Todo segredo da humanidade será descoberto perantes os olhos de Deus. Todas as desculpas dos judeus e dos gentios encolherão e morrerão.

Segundo, o próprio Juiz será Jesus Cristo. Tendo morado na terra, Ele conhece muito bem as tentações que todo homem sofre. (Mais sobre Jesus ,o Juiz, pode ser lido em Jo 5:22, 27; II Ts 1:7 a 10; II Tm 4:1.)

Perguntas Interativas

  1. Quem será justificado por Deus no julgamento?
  2. O que mostrará a obra da lei escrita nos corações daqueles que não tem a lei de Deus?
  3. No julgamento o que acusará ou defenderá os homens que nunca tinham a lei?

Palavras-Chave

  • Consciência – Conscientização interna do bem e do mal
  • Evangelho – As boas novas da obra completa de Jesus Cristo para salvar a humanidade do pecado
  • Gentios – Aqueles que não são judeus; Aqui, aqueles que nunca conheceram a lei de Deus dada aos judeus
  • Hipocrisia – Boas obras feitas por razões más
  • Julgados – Condenados
  • Justos – Pessoas que não são culpadas perante Deus
  • Justificados – O resultado de pessoas serem declarado desculpadas diante de Deus
  • Lei – Padrão do certo e do errado
  • Pecaram – Desobedeceram a Deus
  • Testificando – Testemunhando; Alegando a ser verdadeiro