RM014 | Romanos 2:6 a 11 | Deus Julga Todo Homem

Texto Bíblico | Deus Julgará Todo Homem Segundo as Suas Obras | 2.1.2

O qual recompensará cada um segundo as suas obras; a saber:

A vida eterna aos que, com perseverança em fazer bem, procuram glória, honra e incorrupção;

Mas a indignação e a ira aos que são contenciosos, desobedientes à verdade e obedientes à iniqüidade;

Tribulação e angústia sobre toda a alma do homem que faz o mal; primeiramente do judeu e também do grego;

10 Glória, porém, e honra e paz a qualquer que pratica o bem; primeiramente ao judeu e também ao grego;

11 Porque, para com Deus, não há acepção de pessoas.

Comentário

Deus vê todo povo como igual no Dia do Julgamento. Embora os homens tenham diferenças de finanças, cor de pele, língua, herança, idade, profissão, estes não alteram o estado eterno do homem. Até os judeus, escolhidos por Deus, não têm alegações que podem fazer diante dEle (vv.10, 11). Deus determina o status eterno de cada homem segundo uma coisa só—suas obras (v.6).

Deus sabe tudo que cada homem tem feito. Não separará, porém, todo homem em centenas ou milhares de categorias—somente em duas. Aqueles na primeira categoria  receberão a vida eterna e todos os seus benefícios, enquanto os outros da segunda categoria receberão exatamente o oposto—baderna, aflição, tristeza, etc. Pode ler mas sobre o Dia do Julgamento nas seguintes passagens: Dn 12:2; Mt 25:31 a 46; Lc 16:19 a 31; Jo 5:24 a 29; At 24:15; Ap 20:11 a 15.

Primeiro, Paulo descreve aqueles que receberão a vida eterna. Eles pacientemente aguentam a inquietação do mundo sempre sucedendo em fazer a coisa certa enquanto buscam os dons de Deus sozinho (v.7). Que descrição linda de uma pessoa!

Alguém pergunta: “Quem conhece alguém assim?” A resposta a esta pergunta, porém, é ninguém. (Paulo já concluiu que não há ninguém bom; ninguém vive assim.) Aqui está uma situação hipotética para ilustrar o ponto. Não é para levar-nos a achar que podemos ser perfeitos perante Deus através dos nossos esforços, mas que os requerimentos de recebermos a vida eterna excede o que qualquer homem pode realizar.

Em segundo lugar, Paulo descreve aqueles que não receberam a vida eterna. Eles contendam com Deus por não obedecerem a verdade (v.8). Em vez disso, fazem coisas que não chegam aos padrões de Deus. Estas pessoas são dignas de tristeza, baderna e sofrimento (v.9).

Claro, esta é a condenação miserável que será passado sobre todo homem. Assim como ninguém é digno de vida eterna, então todo homem é digno do tormento eterno.

(Nós, que somos cristãos, ficamos em pé e exlamamos: “Deus seja louvado! Há ainda esperança! Jesus morreu por nós!”)

Perguntas Interativas

  1. O que é que os homens não obedecem quando Deus lhes dá indignação, ira, tribulação e angústia no julgamento?
  2. Quem primeiramente receberá de Deus tribulação e angústia?
  3. Quem não faz acepção de pessoas no julgamento?

Palavras-Chave

  • Acepção de pessoas – Parcialidade
  • Angústia – Sofrimento; grande aflição
  • Contenciosos – Aqui, contra Deus
  • Eterna – Sem começo ou fim; para sempre
  • Fazer bem – Boas obras
  • Glória – Condição maravilhoso de ser abençoado por Deus
  • Grego – Aqui, não judeu
  • Honra – Favor divino
  • Incorrupção – Não morrerá
  • Indignação – Cólera
  • Iniqüidade – Perversidade; pecado
  • Judeu – Aqui, a descendência de Abraão (1900s BC)
  • Recompensará – Pagará; retribuirá; dará
  • Tribulação – Agonia; opressão; sofrimento

RM010 | Romanos 1:24 a 27 | O Homem Revela a Sua Rejeição de Deus

Texto Bíblico | Idolatria B (Fase 03): Deus Entregou o Homem às Concupiscências de Seu Coração  | 1.3.3

24 Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si; 25 Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém.

Texto Bíblico | Imoralidade (Fase 04): Deus Abandonou o Homem às Paixões Infames | 1.3.4

26 Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza.  27 E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro.

Comentário

Deus não destruiu imediatamente a humanidade com raiva. Em vez disso, permitiu a humanidade auto-destruir. Deus não é impulsivo, mais com misericórdia e com carinho, pacientemente permite as escolhas do homem a serem os seus professores. Ele deixa o homem fazer como quiser, lhe mostrando quão longe irá nos seus desejo ímpios. Deus teria permanecido justo por simplesmente destruir o homem e criar uma nova raça inteira de pessoas. O homem deve estar muito grato a Deus que Ele não fez isto. A ingratidão que começou esta rejeição de Deus se tornou idolatria. A idolatria levou para práticas idólatras terríveis. Estas práticas eram nojentas e imorais. O homem se exaltou ao nível de Deus e acreditou em satisfazer todos os seus desejos como uma forma de adoração (v.24). Esta honra se transformou em desonra, enquanto o corpo humano e seus desejos descontrolados foram glorificados acima de Deus. Quando alguém muda “a verdade de Deus”(v.25) toda a verdade está afetada. (Para um estudo mais avançado, pode considerar os povos diferentes [p. ex. os cananeus] que destruiram seus corpos com adoração corrupta.)


O homem, quando abandonado, nem somente deteriora, mas seus desejos deterioram. Ele começa a sentir saudades das atividades que antes eram-lhe nojentas e vergonhosas (“paixões infames” v.26). Paulo disse: “Até as suas mulheres mudaram.” Isto enfatiza o decaimento da humanidade. É uma coisa quando os homens se tornam homossexuais, como o caso seja aqui, mas é algo completamente diferente quando as mulheres os seguem ao mesmo pecado. As mulheres sodomitas são um sinal certo que Deus já entregou as pessoas para paixões infames. Quando o homem rejeita a revelação de Deus da natureza logo rejeita o que a natureza revela sobre o homem mesmo. A natureza mostra que o homem foi desenhado como uma criatura de ordem. Seu corpo está apto para funções específicas. Enquanto o homem rejeita a Deus, também abandona estas funções por desejos maus (“se inflamaram em sua sensualidade” v.27). Esta perversão leva a práticas tortas. Este “erro” tem “a recompensa,” o resultado,  “que convinha.” Esta recompensa é a desonra daqueles que continuam no pecado, e para aqueles que voltam a Deus, profundo pesar.

Perguntas Interativas

  1. Deus entregou o homem para o que primeiro que levou-o a ter um comportamento corporal muito desonhoso?
  2. O que o homem adora mais que o Criador quando muda a verdade de Deus em mentira?
  3. Para o que Deus abandonou o homem a fim de que os homens e as mulheres fossem sodomitas?

Palavras-Chave

  • Concupiscências – Desejos; aqui, desejos pecaminosos
  • Honraram – Aqui, deu valor para um falso deus como se fosso o Deus verdadeiro
  • Inflamaram, se – Incendiaram-se; dominados por
  • Paixões infames – Desejos vergonhosos; desejos irracionais
  • Por isso – Portanto; por esta causa
  • Recompensa – Retribuição
  • Sensualidade – Desejos sexuais
  • Sodomitas – Homossexuais
  • Torpeza – Algo vil
  • Verdade – A interpretação correta da realidade, especialmente de Deus baseada nas coisas que são feitas