RM039 | Romanos 6:8 a 13 | O Poder da Graça Transformadora de Deus

Texto Bíblico | Perceba que a Morte e Ressurreição de Cristo Terminaram o Domínio da Morte Sobre Cristo| 6.2.1

8 Ora, se já morremos com Cristo, cremos que também com ele viveremos;

9 Sabendo que, tendo sido Cristo ressuscitado dentre os mortos, já não morre; a morte não mais tem domínio sobre ele.

10 Pois, quanto a ter morrido, de uma vez morreu para o pecado; mas, quanto a viver, vive para Deus.

 Texto Bíblico | Perceba que Sua Própria Morte e Ressurreição em Cristo Terminaram o Domínio do Pecado Sobre Você | 6.2.2

11 Assim também vós considerai-vos certamente mortos para o pecado, mas vivos para Deus em Cristo Jesus nosso Senhor.

12 Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, para lhe obedecerdes em suas concupiscências;

13 Nem tampouco apresenteis os vossos membros ao pecado por instrumentos de iniqüidade; mas apresentai-vos a Deus, como vivos dentre mortos, e os vossos membros a Deus, como instrumentos de justiça.

Comentário

A morte de Jesus Cristo pelos pecadores foi necessária apenas “uma vez” (como foi dito aqui em v.10 e em 5:15-19). Sendo que Cristo já provou a morte por todos (Hb 2:9), então não precisa morrer novamente, (“a morte não mais tem domínio sobre ele” v.9). Da mesma maneira, todos aqueles que têm morrido consigo viverão consigo (v.8).

Agora, Jesus Cristo “vive para Deus” (v.10). O crente semelhantemente deve viver para Deus também, tendo nova vida nEle. Isto faz sentido perfeito aos que consideram a morte que era requerida para possibilitar esta nova vida. Crentes vivem para Deus, não porque são ligados pela lei, mas porque são libertos da punição do pecado! A obediência nas vidas deles tem para a sua motivação o amor e a gratidão. (Por um estudo avançado, considere o poder infalível do amor segundo I Co 13.)

A ideia falsa, (ensinada por aqueles que infelizmente não entendem a graça), que os homens recebem Jesus só para poderem ter licença a pecar é absolutamente insensata aos que verdadeiramente têm recebido a graça de Deus. A última coisa que eles desejaram fazer era pecar mais; na verdade, queriam ser totalmente libertos do pecado e a sua punição! Agora, profundamente gratos pela sua salvação, eles vivem “para Deus.”


O crente deve reconhecer a sua nova morte para o pecado (que Paulo disse deve ser considerada em v.11). Ele ainda é muito capaz de desobedecer a Deus. O pecado, porém, não é requerido. A escravidão, agora acabada, é somente uma escolha. Paulo usa a palavra “certamente” para enfatizar este fato em v.11. Crente nenhum deve se convencer, então, que deve pecar como se fosse ainda servo do pecado—todo grilhão foi quebrado através de Cristo.

O pecado ainda deseja dominar sobre crentes, as tentações ainda assombram e “concupiscências” humanas continuam a espreitar (v.12). O crente, porém, pode tomar uma escolha. É uma escolha de submissão. Ou o cristão se submeterá (“apresenteis”)  os membros do corpo como ferramentas (“instrumentos”) ao mal ou como ferramentas ao bem (“justiça” v.13). A motivação a se submeter a Deus é o amor por Deus. Este amor, cheio de gratidão pela graça de Deus, anima o crente a viver de um modo justo.

 

Perguntas Interativas

  1. O que não mais tem domínio sobre Cristo, sendo que ressuscitou dentre os mortos?
  2. Quantas vezes Jesus precisava morrer?
  3. Para quem Cristo vive?
  4. O que nós devemos nos considerar para o pecado?
  5. Em quem estamos vivos para Deus?
  6. No que o pecado reina quando alguém obedece-lhe em suas concupiscências?
  7. Para quem os membros do seu corpo mortal devem ser apresentados?

Palavras-Chave

  • Apresentai-vos – Oferecei-vos; Colocai ao lado
  • Apresenteis – Ofereçais; Coloqueis ao lado
  • Considerai-vos – Reconheçai isso como um fato
  • Concupiscências – Desejos pecaminosos
  • Domínio sobre – É senhor de
  • Graça – O favor de Deus aos não merecedores
  • Iniqüidade – Injustiça; pecado
  • Instrumentos – Ferramentas
  • Justiça – Algo aceitável a Deus
  • Membros –  Extremidades
  • Mortal – Sujeito à morte
  • Pecado – Injustiça; algo errado e contra Deus
  • Reine – Governar com grande autoridade com a de um rei
  • Tentações – Provocações a pecar

RM010 | Romanos 1:24 a 27 | O Homem Revela a Sua Rejeição de Deus

Texto Bíblico | Idolatria B (Fase 03): Deus Entregou o Homem às Concupiscências de Seu Coração  | 1.3.3

24 Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si; 25 Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém.

Texto Bíblico | Imoralidade (Fase 04): Deus Abandonou o Homem às Paixões Infames | 1.3.4

26 Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza.  27 E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro.

Comentário

Deus não destruiu imediatamente a humanidade com raiva. Em vez disso, permitiu a humanidade auto-destruir. Deus não é impulsivo, mais com misericórdia e com carinho, pacientemente permite as escolhas do homem a serem os seus professores. Ele deixa o homem fazer como quiser, lhe mostrando quão longe irá nos seus desejo ímpios. Deus teria permanecido justo por simplesmente destruir o homem e criar uma nova raça inteira de pessoas. O homem deve estar muito grato a Deus que Ele não fez isto. A ingratidão que começou esta rejeição de Deus se tornou idolatria. A idolatria levou para práticas idólatras terríveis. Estas práticas eram nojentas e imorais. O homem se exaltou ao nível de Deus e acreditou em satisfazer todos os seus desejos como uma forma de adoração (v.24). Esta honra se transformou em desonra, enquanto o corpo humano e seus desejos descontrolados foram glorificados acima de Deus. Quando alguém muda “a verdade de Deus”(v.25) toda a verdade está afetada. (Para um estudo mais avançado, pode considerar os povos diferentes [p. ex. os cananeus] que destruiram seus corpos com adoração corrupta.)


O homem, quando abandonado, nem somente deteriora, mas seus desejos deterioram. Ele começa a sentir saudades das atividades que antes eram-lhe nojentas e vergonhosas (“paixões infames” v.26). Paulo disse: “Até as suas mulheres mudaram.” Isto enfatiza o decaimento da humanidade. É uma coisa quando os homens se tornam homossexuais, como o caso seja aqui, mas é algo completamente diferente quando as mulheres os seguem ao mesmo pecado. As mulheres sodomitas são um sinal certo que Deus já entregou as pessoas para paixões infames. Quando o homem rejeita a revelação de Deus da natureza logo rejeita o que a natureza revela sobre o homem mesmo. A natureza mostra que o homem foi desenhado como uma criatura de ordem. Seu corpo está apto para funções específicas. Enquanto o homem rejeita a Deus, também abandona estas funções por desejos maus (“se inflamaram em sua sensualidade” v.27). Esta perversão leva a práticas tortas. Este “erro” tem “a recompensa,” o resultado,  “que convinha.” Esta recompensa é a desonra daqueles que continuam no pecado, e para aqueles que voltam a Deus, profundo pesar.

Perguntas Interativas

  1. Deus entregou o homem para o que primeiro que levou-o a ter um comportamento corporal muito desonhoso?
  2. O que o homem adora mais que o Criador quando muda a verdade de Deus em mentira?
  3. Para o que Deus abandonou o homem a fim de que os homens e as mulheres fossem sodomitas?

Palavras-Chave

  • Concupiscências – Desejos; aqui, desejos pecaminosos
  • Honraram – Aqui, deu valor para um falso deus como se fosso o Deus verdadeiro
  • Inflamaram, se – Incendiaram-se; dominados por
  • Paixões infames – Desejos vergonhosos; desejos irracionais
  • Por isso – Portanto; por esta causa
  • Recompensa – Retribuição
  • Sensualidade – Desejos sexuais
  • Sodomitas – Homossexuais
  • Torpeza – Algo vil
  • Verdade – A interpretação correta da realidade, especialmente de Deus baseada nas coisas que são feitas